Photo 29 Jul 1,663 notes
Photo 29 Jul 3 notes  
Jean-Baptiste Greuze (Tournus 1725-1805 Paris) $18,000,fait par jean Baptiste Greuze a l’age de 47 ans’ (on the reverse) 59 x 43.9 cm. christies. www.christies.comUS$ 18 mil, está bem barato!!

 

Jean-Baptiste Greuze (Tournus 1725-1805 Paris) $18,000,fait par jean Baptiste Greuze a l’age de 47 ans’ (on the reverse) 59 x 43.9 cm. christies. www.christies.com

US$ 18 mil, está bem barato!!

Text 28 Jul 4 notes Karl Haendel: qual o lugar do desenho na arte contemporânea?

emnomedosartistas:

Train #1, 2008

Karl Haendel
1976, Nova York. Vive e trabalha em Los Angeles.

Sob o ponto de vista artístico, o desenho é uma prática como outra qualquer para Haendel, mesmo que, na arte contemporânea, outras linguagens, como o vídeo, a instalação e processos digitais e interativos sejam considerados mais atraentes. Sua maior preocupação sustenta-se na honestidade e respeito pelo material e em como suporte e linguagem serão construídos para que sejam capazes de proporcionar um conteúdo que desestabilize ou desperte outros pontos de vista sobre posicionamentos políticos, estéticos, formais, culturais.

“Para mim, as melhores obras de arte refletem ou, mais precisamente, são produtos do tempo em que foram criados”, afirma Karl Haendel. O artista concilia em suas obras discussões sociais de impacto político e intenções artísticas. Sua crítica se dirige principalmente à economia norte-americana baseada na superprodução industrial e em atitudes de consumo exagerado. A riqueza formal de seus desenhos hiperrealistas em grafite é inseparável de um compromisso de crítica social e desalienação.

Train #1, 2008
 
Como Charles Chaplin em Tempos Modernos, em Train # 1 Haendel elabora uma crítica à sociedade moderna, resgatando o processo de mecanização e escoamento da produção e nos fazendo refletir sobre os processos industrializantes atuais.  Esse desenho pode parecer uma simples fotografia documental em preto e branco de uma antiga locomotiva a vapor. À medida que o espectador se aproxima da imagem, porém,  a materialidade do traço feito a lápis se faz notar.

Interessado em processos artísticos artesanais, Haendel recontextualizou essa imagem, transpondo-a do meio fotográfico para o desenho, atualizando os seus significados e destacando o fazer manual numa perspectiva expressiva mais agressiva que a da imagem digital. Assim, Handel cria uma dupla relação temporal entre a imagem e o seu referente. Ele seleciona a imagem, a fotografa novamente, projeta no espaço e a reconstrói com lápis como um pintor.

Photo 28 Jul 450 notes curioos-arts:

Bartosz Piotrowski (Ireland) - Curioos

curioos-arts:

Bartosz Piotrowski (Ireland) - Curioos

Photo 26 Jul 5,504 notes

(Source: lokalrunde)

via .
Photo 25 Jul 14,938 notes visual-poetry:

“in god we trust” by eric amann (1981)

visual-poetry:

“in god we trust” by eric amann (1981)

Photo 24 Jul 958 notes 2headedsnake:

tebe-interesno.livejournal.com
Tebe Interesno
Photo 23 Jul 325 notes jorcha:

No History!
http://www.chadwys.com
via Jorcha.
Photo 22 Jul 2,444 notes hydeordie:

Amie Siegel Black Moon/Hole Punch #6, 2010.

hydeordie:

Amie Siegel Black Moon/Hole Punch #6, 2010.

Photo 21 Jul 1,748 notes buzzfeed:

[Austere Portrait Of Peter Griffin]
via .

Design crafted by Prashanth Kamalakanthan. Powered by Tumblr.